terça-feira, 17 de agosto de 2010

Projeto de Pesquisa - O LÚDICO NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL NA ESCOLA MUNICIPAL FREI TADEU DE IMPERATRIZ - MA.

JUSTIFICATIVA

O lúdico tem sua origem na palavra latina “ludus” que significa “jogo”. Mas se o termo ludos estivesse confinado ao seu significado apenas, não seria tão importante. Porém este passou a ser conhecido como um instrumento essencial no comportamento da humanidade. De modo que lúdico passou a ter novos significados para a classe educadora. Com isso, na educação infantil, sua principal finalidade é atuar como um método educacional.
As atividades lúdicas como instrumento facilitador no processo de ensino e aprendizagem tem sido objeto de estudo de muitos pesquisadores e estudiosos que viram nas atividades uma forma de dinamizar o ensino, dando meios para uma aula dinâmica e criativa, trabalhando de forma animada à sua prática pedagógica, com isso, o processo de ensino no decorrer dos anos passou por uma transformação significativa, no que se refere à metodologia utilizada pelos professores, que procuram de todas as formas melhorarem suas práticas pedagógicas, e para isso passaram a usar as atividades lúdicas como uma metodologia, pois no brinquedo está à essência de uma criança, e ela vê na brincadeira e nos brinquedos um suporte da vida, pois esta, não vê seu mundo sem o referido objeto de estudo, essas atividades são também usadas pelos adultos para brincar. Mas isso, não significa dizer que o adulto volte a ser criança, mas é uma forma que possibilita ao ser humano interagir-se consigo mesmo e com os outros.
Teoricamente o brincar para as crianças é mais que uma diversão, é algo que percorre o real e se mistura com a imaginação, com o sonho, desperta nela o desejo da descoberta, e é importante que o educador saiba que o bom brinquedo é aquele que atende as necessidades da criança, que propicie a ela uma maior harmonia com a ferramenta usada.
As atividades lúdicas demonstram valores para todas as fases da vida, mas pode-se perceber que com a evolução da tecnologia, com computadores, videogames, celulares e outros objetos da atualidade, as pessoas, principalmente as crianças deixaram de brincar como antes, em que eles brincavam de pega - pega, pique - esconde, e outras atividades lúdicas, as formas de brincar eram divertidas e não causavam danos a saúde, diferente de hoje em que eles se apegaram a formas banais de se divertir, que contraem doenças, problemas psicomotores, visuais e vários outros, no entanto, os pais nem a sociedade se mobilizam para mudar esta realidade mundial. É necessário dizer que, uma brincadeira sadia para a criança ajuda no desenvolvimento, em sua forma de aprender, encontre funções especificas de auto-ajuda, e encontre no brinquedo um item preponderante para sua realidade.
As atividades lúdicas além de serem um modelo especifico da criança, é também uma maneira de melhorar a prática pedagógica, ajudam no auxilio educacional e não apenas como atividades recreativas, pois possibilita melhoria no desenvolvimento das habilidades físicas e facilita o processo de aprendizagem. A parte disso, usando esse método adequadamente a escola percebera no decorrer dos anos a diferença que a ludicidade fará na educação, pois as brincadeiras são interdisciplinares, ou seja, pode ser usado em todas as matérias.
Por ter o conhecimento da importância das atividades lúdicas, é que se sentiu a necessidade de uma pesquisa voltada para as brincadeiras nas salas de aula da educação infantil, levantando diversas problemáticas envolvendo o brincar como um instrumento pedagógico a ser utilizado pelos educadores no processo de ensino aprendizagem. Em que foi indagado o seguinte questionamento, de que maneira as atividades lúdicas contribuem para o ensino e aprendizagem na educação infantil.
Diante disso, a escolha do tema justifica-se pelo fato de que será de fundamental importância para os educadores, conhecerem o valor das brincadeiras na educação, e ajude o educando, para que o mesmo não sinta no ato de ensinar uma rotina em que não se tem prazer em aprender, pois a forma como lhe é ensinado é fundamental. Com isso, as brincadeiras usadas como um recurso pedagógico facilitará no desempenho educacional, sem falar no desenvolvimento da criatividade, do raciocínio lógico, da imaginação e em especial a capacidade motora. Mas na atividade lúdica o produto da atividade não é o mais importante, ou mesmo o seu resultado, mas o que se faz, a ação, a maneira como lhe é colocada no ensino. Neste sentido, o lúdico pode contribuir significativamente para o desenvolvimento do ser humano, auxiliando-o na aprendizagem, na evolução da criatividade e formando um ser critico capaz de realizar suas próprias ações.
Consequentemente é importante que as escolas, e instituições que trabalham com crianças, coloquem em prática o uso das atividades lúdicas, não apenas como uma forma de passar o tempo, mas como um modelo educacional. Pois, mais que brincar o lúdico passou a ser para as escolas, uma forma de metodologia, usada em sala de aula brincadeiras educativas, que propicie ao educando uma melhor aprendizagem.
Assim sendo, a pesquisa contribuirá para esclarecer que através do brincar, e das brincadeiras é possível construir conhecimentos que desenvolva os aspectos cognitivos, motor, psíquico e social da criança e adolescente. Tirando duvidas existentes a respeito da eficácia deste recurso educacional, e proporcionando ao educador uma descoberta da verdadeira importância que tem o lúdico, de geração de conhecimento para a criança em processo de aprendizagem.


QUESTÕES NORTEADORAS

- As atividades lúdicas exercem um papel importante na aprendizagem das crianças da escola municipal Frei Tadeu?

- Através das atividades realizadas durante as aulas é possível perceber situação de aprendizagem nas crianças desta escola?

- Que importância os professores desta instituição atribuem as atividades no educar das crianças?

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Compreender as atividades lúdicas como fator importante no processo de ensino e aprendizagem dos alunos da escola municipal Frei Tadeu.

- Analisar a contribuição do brincar e do educar no processo de desenvolvimento das crianças da escola municipal Frei Tadeu.

- Observar a forma como os professores vêem as atividades lúdicas na educação das crianças da escola municipal Frei Tadeu.


FUNDAMENTAÇÃO TEORICA

Na atualidade as atividades lúdicas são usadas por toda a sociedade, porém antes do século XVI essas atividades não eram vista, logo porque a criança não era valorizada, a tinham como um adulto em miniatura. Sobre isso ÁRIES (1978) enfoca que no século XVII a arte Medieval não conhecia a infância, pelo fato de que não existia lugar para a criança naquele período. As crianças não tinham sua própria identidade e tudo que faziam era viver a vida de um adulto, não existiam brinquedos nem brincadeiras, a elas atribuídas.
No catolicismo, as atividades lúdicas eram consideradas ociosas e geradoras de desvios. Também no período da revolução industrial as brincadeiras eram tidas como mero ócio, banal, mesmo porque não se tinham tempo para as brincadeiras, pois o trabalho era incessante, para as pessoas desse período o lazer, as atividades lúdicas eram uma fonte de pecado e perda da salvação. Daí se percebe a visão do ser humano na antiguidade, em relação à ludicidade.
Porém com o passar dos anos essa visão foi mudando, “nasce um sentimento de infância, a preocupação com o pudor e o cuidado em não corromper a inocência infantil”, como salienta Aranha (1996 p 60). E nessa mudança os jogos e as brincadeiras, passam a fazer parte do cotidiano infantil. E no que se refere às atividades lúdicas no enfoque educacional ainda não faz jus a sua real finalidade.
Porém, a partir da Antiguidade, os educadores começaram a trabalhar com as atividades lúdicas, no entanto, apenas na recreação, pois não viam no brinquedo, um objeto educativo. Na Grécia, essas atividades eram usadas pelos filósofos gregos para ajudar os seus aprendizes em suas tarefas diárias, diante disso pode-se perceber que o lúdico é uma ferramenta importante na educação, no que se refere a criatividade que cada criança apresenta quando brinca, o lúdico proporciona ao educando sentimento de satisfação, prazer, e ajuda-o o no desenvolvimento do seu eu interior, da memorização dos fatos, em testes cognitivos. Também, é essencial para a saúde mental e física, é fundamental na sociedade e na família.
As atividades lúdicas vêm sendo usado por muitos educadores, como uma forma de atividade educacional, na melhora do ensino e aprendizagem, mas qual o real significado desta palavra que ainda hoje existe pessoas que não a conhecem. De acordo com Johan Huizinga (2000, p.33), o jogo é:
Uma atividade ou ocupação voluntária, exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e de espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em se mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e alegria e de uma consciência de ser diferente da “vida quotidiana”.

Diante desta definição, é percebido que o jogo é de livre escolha, podendo ser usado por adultos e crianças, mas com regras a serem seguidas, crianças com jogos infantis e adultos com jogos a que ele seja atribuído, e sendo usados por ambos como uma fuga da realidade temporariamente, porém que traz prazer a quem joga, no entanto o jogador deve ter certos limites, não devendo usá-los de maneira inadequada, como apostas.
Na educação as atividades lúdicas facilitam o processo de ensino/aprendizagem, e quem as aplica, no caso o educador deve ser o mediar essa inclusão usando a de forma adequada. Sobre esse assunto, Nóvoa (1991) afirma que não é possível construir um conhecimento pedagógico para além dos professores, isto é, que ignore as dimensões pessoais e profissionais do trabalho docente. Mas isso, não quer dizer que o educador seja o único responsável pelas ações educativas, no entanto, é um dos responsáveis pelo sucesso da ação. Neste sentido, Kishimoto (2008) defende a idéia de que a brincadeira é o lúdico em ação, e que a brincadeira deixa de ser coisa de criança e passa a se constituir em coisa séria, digna de fazer parte dos recursos didáticos. E é nesse ponto que a escola entra como bojo, como alicerce, para a realização da ludicidade, de forma que não seja nem apenas o brincar em ação, mas passe a ser uma diretriz para transformação do ato de brincar.
As atividades lúdicas ajudam na motricidade da criança, e segundo Weiss (1997), através do brinquedo a criança inicia sua entrada na sociedade, aprende a conviver com os outros e se situar no mundo, a criança se exercita, desenvolve seu lado emocional e afetivo, bem como algumas áreas do domínio cognitivo, como a capacidade de síntese. Esta atividade promove aprendizagem, seja dentro ou fora da escola, e enquanto a criança brinca, aprende de forma prazerosa, o que antes era difícil, e possibilita ao educador um ambiente de prazer, pois a criança passa a gostar do método usado e deixa de badernas inconsequentes em sala de aula. Para isso, o Referencial Curricular Nacional (1998), da Educação Infantil, deixa de forma sucinta que o desenvolvimento da criança acontece através do lúdico. A partir disso, porque muitos educadores nem mesmo conhecem o significado da palavra lúdico, já os PCNs demonstram a importância da ludicidade, quando aborda que a criança se desenvolve a partir do jogo.
De acordo com Santos (2000) os profissionais de educação e os pais necessitam ter clareza do real significado dos brinquedos e/ou jogos que são necessários para as crianças, e saibam que eles são de grande contribuição no desenvolvimento das habilidades, do aprender e brincar. Mas para isso é necessário que tanto a família quanto os locais que cuidam de crianças desenvolvam maneiras propicias, que possibilite a aplicação de métodos educativos que chamem a atenção da criança e que ela se sinta atraída por eles.
Se os profissionais tivessem consciência da finalidade que o brincar é, trabalhariam mais usando esse método, pois, segundo Neves (2002) a criança ou mesmo o jovem opõe uma resistência à escola e a forma de ensino, porque ela não é lúdica, não dar nenhum prazer. Para isso, até o Referencial Curricular Nacional (1998), para a Educação Infantil, deixa de forma sucinta que o desenvolvimento da criança acontece através do lúdico. Então, porque muitos educadores nem mesmo conhecem o significado da palavra lúdico, se os PCNs demonstram a importância da ludicidade, quando abordam que a criança se desenvolve a partir do jogo.
Santos (1997) e Kishimoto (1999) afirmam que, a formação lúdica possibilita ao educador conhecer-se como pessoa, saber de suas possibilidades, desbloquearem resistências e ter uma visão clara sobre a importância do jogo e do brinquedo para a vida das crianças, do jovem e do adulto. No entanto, muitos educadores nem se quer sabem a respeito da ludicidade e ficam estagnados numa pedagogia reprodutora de conhecimento, porém muitos educadores procuram nas atividades lúdicas subsídio necessário para a prática pedagógica ideal.


METODOLOGIA

O presente estudo será conduzido através de pesquisa exploratória, e que tem como objetivo proporcionar uma maior compreensão diante do estudo exposto. Para isso, a estratégia de pesquisa utilizada será a do levantamento bibliográfico, acrescentado a essas estratégias coletas de dados através de um questionário semi-estruturados, contendo quatro questões subjetivas e cinco questões objetivas, direcionadas aos professores da Educação Infantil da Escola Municipal Frei Tadeu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário